Acampantonamento de Carnaval 2009 – Um Must!

Terminou o Acampantonamento de Carnaval de 2009 e já podes pesquisar as fotografias na nossa galeria de fotos, para viveres um pouco desta experiência. Realizou-se durante a interrupção lectiva entre 20 e 24 de Fevereiro (Entrudo) e contou com a presença de 75 DESBRAVADORES. Este ano contámos com a presença dos amigos muito queridos do Núcleo de Lisboa Central

O tema do Acampantonamento era “Pela Fé, tu podes brilhar” e explorou a Galeria dos Heróis da Fé (Hebreus 11). Foram revistos os exemplos de Enoque, Noé, Abraão, José, Moisés, Raab, Gideão e Samuel, e os jovens, desde os tições aos companheiros e séniores, puderam meditar nas suas vidas e experiências de fé.

O Acampantonamento de Carnaval é uma tradição dos Camarros desde há alguns anos a esta parte. Sempre na interrupção lectiva do Carnaval, os Camarros realizam uma actividade que se divide em duas fases: a fase de acampamento e a fase de acantonamento. Isto deve-se, obviamente, às condições climatéricas da altura do ano em que se realiza. Este ano, a primeira fase do Acampantonamento teve lugar na sede dos Camarros e a segunda fase ocorreu no Parque de Campismo dos Picheleiros (Serra da Arrábida).

Sexta-feira foi o dia da chegada, melhor dizendo, a noite da chegada. Camarros e Central instalaram-se nos nos três pisos superiores da Igreja Adventista do Barreiro para acantonar. A reunião de abertura foi curta. Nela se deram as boas vindas a todos os participantes e alguns anúncios. O pastor Jorge Duarte abriu o Acampantonamento com uma meditação sobre o significado da fé. As outras meditações seguintes estiveram a cargo dos dirigentes e dos Companheiros e Séniores.

Sábado, os DESBRAVADORES acordaram bem cedinho para deixar a Igreja preparada para a cerimónia de culto e sairam para a Mata da Machada, ondeestiveram toda a manhã e a tarde. Os Tições foram para a Mata de carro, enquanto os Desbravadores, Companheiros e Séniores fizeram uma caminhada até lá. Na Mata prestámos o culto com a Escola Sabatina por classes e o Sermão dividido entre Tições e outras faixas etárias. De tarde, após o almoço, estudou-se a Escola Sabatina e os Tições sairam para uma pista de sinais, enquanto os mais velhostiveram uma pista de orientação. Ambas as pistas basearam-se no tema da manhã – “Enoque: a pureza da Fé”.

De noite, os tições voltaram para a Igreja com os Companheiros e Séniores, mas os Desbravadores partiram para um raide nocturno na Serra da Arrábida, com início em Palmela-Serra do Louro e final nos Picheleiros. A pernoita foi feita num abrigo onde couberam, à vontade, 30 pessoas.Só na manhã seguinte foi possível terminar a caminhada, pouco passava do meio-dia.

Antes de irem ter ao Parque dos Picheleiros de carro, os Tições dos Camarros juntamente com os da Central estiveram a distribuir convites para a Escola Cristã de Férias que se realizará no Barreiro durante as férias de Páscoa. Estiveram no Parque da Cidade de manhã e, quando regressaram à Igreja, despediram-se, Camarros e Central. Para os Tições de Lisboa Central, tinha acabado a actividade e tiveram de voltar para casa.

Com uma noite e uma manhã tão cansativas, Domingo foi dedicado a montar o acampamento no Parque de Campismo e a descansar.

No dia seguinte houve a manhã desportiva com futebol-humano, hocabol e o jogo do mata-piolho. De tarde, foi feito um jogo de aproximação com balões de água. À noite houve uma pequena mas bem divertida reunião social, logo seguida de uma pista nocturna, que muito beneficiou de ser Lua Nova.

Na reunião social, foi cantada uma canção que os  Desbravadores não irão facilmente esquecer com música de Carlos Paião (Cinderela) e letra da direcção do Acampantonamento, a música parodiava à volta da actividade:

Acampantonamento
Neste Acampantonamento
Havia um cabeça de vento
Era o Josué
E uma rapariga loira
Perfumada e doida
Chamada Teté
Três meninos estrangeiros
Os jogos inteiros
A falar chinês
É uma idade lixada
A malta aparvalhada
Na fase dos Porquês
Oh não!
Onde é que me vim meter
Esta gente a comer
Suja as mesas
Emporcalha o chão
Voltar?!
Já não posso aguentar
Tenho os pés a rebentar
Não nasci para sofrer
Ainda no outro dia à noite
Os meus dirigentes
Tiveram uma ideia
Não a gabo nem desgabo
Mas a ideia deles
Era mesmo feia
Fartei-me de caminhar
E tive de xonar
Ao relento e ao frio
Só pensava nos tições
A dormir na igreja
De rabo quentinho
Oh não!
Onde é que me vim meter
Esta gente a comer
Suja as mesas
Emporcalha o chão
Voltar?!
Já não posso aguentar
Tenho os pés a rebentar
Não nasci para sofrer

Terminou no outro dia de manhã, com uma cerimónia de encerramento muito singela, os jovens formados em frente às bandeiras, enquanto o pastor Jorge Duarte terminava com a última de todas as meditações.

Deixamos aqui um agradecimento especial à Odete Rodrigues e seu marido que nos auxiliaram na alimentação, dirigindo a cozinha. Também gostariamos de agradecer a todos os que nos ajudaram com o transporte dos jovens.

O acampantonamento de Carnaval de 2009 deixou, concerteza, marcas importantes nos nossos jovens e esperamos, agora, com saudades, para nos voltarmos a encontrar.

Written by

Deixe uma resposta